top of page
Buscar

Mulheres na Pesquisa Clínica: uma contribuição fundamental para avanços científicos

No Dia Internacional da Mulher, o Centro de Pesquisa e Ensino em Saúde de Santa Catarina (CEPEN SC) destaca o papel fundamental e pioneiro das mulheres na pesquisa clínica em saúde, liderando avanços significativos no tratamento do câncer e outras doenças. Sob a liderança da médica oncologista Dra. Lucilda Cerqueira, fundadora do CEPEN SC, a instituição que já possui 25 anos de contribuição à pesquisa, o impacto e a força das mulheres na área da saúde.

Desde sua fundação, o CEPEN SC tem sido fonte de inovação na pesquisa clínica, conduzindo mais de 200 protocolos de pesquisa que transformaram a abordagem ao tratamento do câncer e beneficiaram milhares de pacientes. Dra. Cerqueira Lima, uma das precursoras na introdução da pesquisa clínica em Oncologia e Hematologia na região, compartilha sua visão sobre o pioneirismo feminino na área.

"Sempre busquei uma medicina inovadora. Quando a pesquisa clínica surgiu e percebemos a possibilidade de trazer novos medicamentos, algo que o SUS e a clínica privada não teriam acesso, e que poderia trazer novas chances de tratamento e sobrevida aos pacientes, trabalhamos incansavelmente para criar o Centro de Pesquisa e o Comitê de Ética em Pesquisa (CEP), fundamentais para a aprovação de pesquisas inovadoras", detalha.




Embora a representação feminina na pesquisa clínica global ainda seja um desafio, com apenas 28% das pesquisadoras em todo o mundo, segundo a UNESCO, o Brasil destaca-se com 43,7% das pesquisadoras, conforme dados do CNPq ( (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). No CEPEN, além da presidente, o centro conta com uma equipe majoritariamente feminina na área de pesquisa clínica, com médicas que desempenham papéis cruciais na instituição.

A Dra. Tamise Baptista, médica oncologista que se juntou ao CEPEN SC em 2021, enfatiza a importância da presença feminina na pesquisa clínica.

"Temos uma sensibilidade única. A abordagem compassiva das mulheres na pesquisa clínica é fundamental para estabelecer uma conexão vital com os pacientes."

A paciente e voluntária Aline Reinbold, participante do estudo clínico desde 2017, expressa sua gratidão às médicas: "Ao longo da jornada no tratamento, passamos por situações difíceis, mas as mulheres que trabalham lá são incansáveis, transmitindo confiança e tornando nossa jornada mais leve.", finaliza.

Sobre o CEPEN

Fundado em 1998, o CEPEN desempenha um papel essencial na busca de tratamentos contra o câncer por meio da realização de estudos clínicos em Santa Catarina. Com mais de 200 protocolos de pesquisa tratados ao longo dos anos, a instituição tem contribuído significativamente para avanços no tratamento do câncer, beneficiando milhares de pacientes.

Mais informacoes em: www.cepen.org.br

8 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page